Rogério Alves

sexta, 04 agosto 2017 13:32 Managing partner da Rogério Alves & Associados

Rogério AlvesJá foi bastonário da Ordem dos Advogados e é atualmente sócio e managing partner da Rogério Alves & Associados, sociedade que leva o seu nome e em que se dedica sobretudo a Contencioso e Arbitragem. Adepto fervoroso do Sporting, de que já foi dirigente, tem na vida o maior prazer… da vida. E se não tivesse sido advogado, podia perfeitamente andar pelo hemisfério das artes. Podia até ser escritor, se bem que escrever um livro seja precisamente o que lhe falta fazer.

Viagem mais marcante
As viagens são uma feliz combinação feita de destinos, de razões e de objetivos, ingredientes que acrescentam riqueza à nossa vida. São pouco comparáveis e pouco mensuráveis no seu significado. Correspondo ao desafio, selecionando a minha primeira viagem ao Estados Unidos. Foi há cerca de 30 anos e foi uma aventura. Conhecer Nova Iorque, Washington, Baltimore e Filadélfia, entre outros magníficos destinos, significou uma espécie de emancipação do conhecimento e da vivência, consolidando o desejo de conhecer sempre mais e mais do planeta que nos calhou em sorte.

Destino para escapadinha em Portugal
O tempo para escapadinhas está pela hora da morte. Felizmente existem Tróia e a Comporta, que, estando ao pé de Lisboa, ficam à mão de semear.

Recanto em Lisboa
Lisboa é uma cidade bela. Nela nasci e tenho por ela um profundo amor com epicentro nos Olivais Norte, o meu bairro natal. Fiel à zona oriental da cidade, seleciono a magnífica vista do Tejo e da Ponte Vasco da Gama.

Carimbo que falta no passaporte
Austrália.

Hobbies
Ler muito, ouvir muita música e ir jogando futebol aos sábados de manhã com amigos de longa data.

O maior prazer da vida
A vida tem sido o maior prazer da minha vida.

Restaurante que recomenda
Por intercetar variedade, cosmopolitismo, centralidade, competência, simpatia e excelente cozinha, recomendo o “Solar dos Presuntos” (Lisboa).

Prato a que não resiste
A minha resistência é frágil sobretudo quando se me apresenta um suculento arroz de pato.

Vinho ou água?
Água para sobreviver a gosto e vinho para viver com gosto.

Série de culto
Nos dias que correm “Homeland” (“Segurança Nacional”).

Filme que vê e revê
“Era uma vez na América”

Banda sonora da vida
Os Pink Floyd e (quase) tudo o que deles nasce

Um livro de sempre
Bom: este questionário obriga a escolhas impossíveis. No romance (que me perdoe o Philip Roth) escolho “As Vinhas da Ira”, de John Steinbeck.

O que lhe falta fazer
Finalmente uma pergunta fácil: escrever um livro.

Um advogado de referência
Permita-me um pódio com Adelino da Palma Carlos, Ângelo Almeida Ribeiro e Mário Raposo.

Um exemplo de vida
Não consigo ser criativo, porque Nelson Mandela é incontornável e Jesus Cristo é divino.

É advogado porque…
Porque toda a gente me dizia que era o meu destino e, após alguma resistência na adolescência, tive ocasião de o confirmar.

Se não fosse advogado seria…
Músico, maestro, escritor, algo situado nesse hemisfério das artes.

advocatus@briefing.pt