"Não fazemos ideia do que o move, mas se tem contas a ajustar com alguém, que não o faça à custa do bom nome e reputação de quem exerce a profissão em sociedade de forma honesta e esforçada, para poder fazer da sociedade a que pertence uma sociedade para os advogados do futuro". É assim que o presidente da Associação das Sociedades de Advogados de Portugal (ASAP), João Afonso Fialho, reage às acusações feitas por Nuno Godinho de Matos às sociedades de advogados, com que justifica a sua demissão da vice-presidência da Ordem dos Advogados.

Publicado em Atual
sexta, 14 março 2014 10:48

A profissão está a empobrecer

Nuno Godinho de Matos, vice-presidente da Ordem, sociedade Nuno Godinho de Matos e José Manuel Mesquita & AssociadosO grande problema da profissão de advogado em Portugal é a sua “pauperização, o empobrecimento generalizado de todos nós”, diz Nuno Godinho de Matos, 64 anos, um dos senadores da advocacia em Portugal, fundador do PS e que trabalhou mais de três décadas com Proença de Carvalho.

Publicado em Entrevistas